15
Jun 12
Lixarada

 

Fotografia por ©Nuno Ferreira

 

 

Greve na semana das festas de Lisboa...

 

Motoristas e cantoneiros da Câmara de Lisboa iniciaram na segunda-feira uma greve parcial de uma semana para exigir o pagamento de ajudas de custo e de horas extraordinárias, segundo o Sindicato dos Trabalhadores do Município.

 

A greve, que decorre até 17 de junho, coincidindo com as festas populares do Santo António, abrange os cantoneiros, os motoristas de pesados, transportes públicos, e de máquinas pesadas. Em declarações à agência Lusa, Vítor Reis, do Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa, explicou que durante esta semana os cantoneiros fazem greve às primeiras duas horas de trabalho e os motoristas às duas últimas.

“Na prática esta greve, se tiver a adesão que previmos, poderá por em causa a recolha de lixo”, explicou. Segundo o sindicalista, os motivos para a greve prendem-se com o atraso no pagamento do trabalho extraordinário efetuado há um ano durante as festas populares de Lisboa e a exigência que a autarquia lhes pague ajudas de custo e a totalidade do subsídio noturno.

 

O mais "engraçado" é a capacidade das pessoas continuarem a colocar o lixo nos caixotes já de si cheios, empilharem o lixo nas ruas em pirâmides geometricamente quase perfeitas e muitas vezes de o espalharem pelo passeio de forma a o ocuparem em toda a sua largura, não vá alguém conseguir passar, contribuindo assim para o "cheira bem, cheira a Lisboa".

Mas o mais brilhante é ocuparem os lugares de estacionamento em frente às casas, assim quando acabar a greve o trabalho da recolha está facilitado.

O limite para se livrarem do lixo?

...É a imaginação.

 

Lusa/Nuno Ferreira

 

Publicado por Nuno_Ferreira às 23:00
tags: , ,

16
Nov 11

Fotografia por ©Nuno Ferreira



Prédio mais estreito da Europa já era..


Com apenas 1,6 m de largura, o prédio mais estreito da Europa (como era referido por quem o conhecia), na Rua Aquiles Monteverde, nº 16 (freguesia de São Jorge de Arroios), foi demolido.

No passado dia 11-11-2011 começou de manhã cedo a ser demolido o prédio com o número 14 que era contíguo ao 16. Ainda houve esperança que o prédio mais estreito se mantivesse, mas rapidamente essas esperanças se desfizeram na manhã do dia 14, quando também começou a ser demolido.
Como se pode ver pela imagem já nada resta naquele espaço a não ser um vazio e uma pilha de entulho.

Pena que em vez de se recuperarem fachadas, mesmo alterando o interior dos prédios, seja mais fácil deitar tudo abaixo.
Muitos dizem que "é o progresso...", "é a renovação...". Assim se vai descaracterizando o interior da cidade, é o país que temos, digo eu!
Nuno Ferreira

 

Publicado por Nuno_Ferreira às 09:00

10
Out 11

Fotografia por ©Nuno Ferreira



O Bebedouro voltou...

Cinco meses depois, após telefonemas, e-mails, mais telefonemas e mais e-mails, finalmente o processo do Bebedouro do Jardim da Praça José Fontana, foi para a frente e voltámos a ter uma fonte de água gratuita no referido jardim.

Pena ter sido depois de o verão ter acabado e até mesmo após o Verão tardio que tivemos.

A ver vamos, quanto tempo este vai durar...

Nuno Ferreira

Publicado por Nuno_Ferreira às 19:00

26
Ago 11

Fotografia por ©Nuno Ferreira



A Saga continua...

Três meses depois (sim, três meses), após quatro e-mails e quatro telefonemas ao longo deste tempo todo, já tinha falado com a Sra. Carla Ferreira que descobriu e me disse que quem ia ficar com o processo do Bebedouro do Jardim da Praça José Fontana, era o Eng. Fernando Machado e que era necessário fazer um projecto que ainda seria alvo de aprovação. Entretanto a divisão entrou em reestruturação e o Eng. Fernando Machado iria largar o projecto, sem se saber ainda muito bem quem iria ficar com este projecto.

Finalmente falando com a Sra. Deolinda que lá me conseguiu dizer como estavam agora as coisas após a reestruturação, fiquei a saber que o Arq. José Aparicio é quem vai tratar agora deste trabalho, mas está de férias, e só no final do mês posso ficar a saber como se vai desenrolar o processo agora.

Entretanto o sítio do bebedouro está como se pode ver na foto.

Vamos lá ver quanto tempo mais isto vai durar.

Nuno Ferreira

Publicado por Nuno_Ferreira às 17:07

19
Ago 11

 

Fotografia por ©Nuno Ferreira

 

 

Hoje 19 de Agosto, celebra-se o Dia Mundial da Fotografia.

 

Muita gente diz que nunca ouviu falar no Dia Mundial da Fotografia, no entanto é um dia em que fotógrafos de todo o mundo se começaram a juntar para celebrar a fotografia. Qualquer dia é um bom dia para uma festa não é? Mas porque dia 19 de Agosto? 

Apesar de a 9 de Janeiro de 1839 o processo "daguerreótipo" ter sido lançado, celebra-se a 19 de Agosto, pois foi o dia em que nesse mesmo ano, Louis-Jacques Mandé Daguerre apresentou em Paris, em reunião conjunta com as Academias das Ciências e das Belas Artes, e o processo foi anunciado pelo governo françês ao mundo.
Apesar de só anunciado em 1841, também em 1839 foi inventado por William Henry Fox Talbot o "calótipo", um processo mais eficiente de fixar as imagens.
Devido a estes dois contributos, 1839 ficou marcado como o ano em que foi "inventada" a fotografia.

Para mais informações sobre a história da Fotografia:
http://pt.wikipedia.org/wiki/História_da_fotografia

 

Nuno Ferreira

 


Publicado por Nuno_Ferreira às 12:50

02
Ago 11

 

Fotografia por ©Nuno Ferreira

 

4.ª edição dos “Museus à Noite” a 4 e 11 de Agosto

 

Nos dias 4 e 11 de Agosto, os museus lisboetas vão estar abertos entre as 18h00 e as 00h00, na quarta edição da iniciativa “Museus à Noite”, este ano integrada no Festival dos Oceanos. 
Mais de duas dezenas de espaços culturais vão estar abertos pela noite dentro, com entrada gratuita, ainda que em alguns espaços seja necessário realizar marcação prévia, promovendo diversas acções e iniciativas específicas nestes dias.
MUDE, Museu do Oriente, Museu de São Roque, Mosteiro dos Jerónimos, Museu Colecção Berardo, Panteão Nacional ou Pavilhão do Conhecimento são alguns dos mais de 200 espaços que vai ser possível visitar nas noites de 4 e 11 de Agosto.
O Festival dos Oceanos, que assinala este ano a sua oitava edição, é uma iniciativa do Tuirsmo de Lisboa que tem inicio no sábado, dia 30 de Julho, e decorre até 13 de Agosto, apoio do Turismo de Portugal e da Câmara Municipal de Lisboa.

I.M.

 

Lista de museus e mais informações em: http://www.festivaldosoceanos.com/evento/museus+a+noite/20

 


Publicado por Nuno_Ferreira às 22:40
tags:

26
Jul 11

 

Livraria Bertrand do Chiado é a mais antiga do mundo.

 

Para quem não sabe, a Livraria Bertrand é o estabelecimento livreiro mais antigo em todo o Mundo. De portas abertas desde 1732, fundada por Pedro Faure, nunca deixou de funcionar, o atestado, certificado pelo Guinness Book of World Records, está desde 21-04-2011 patente no interior da loja perto dos Best Sellers.

 

Ao longo dos anos, a livraria Bertrand foi retiro de escritores e refúgio de revolucionários em tertúlias que se mantêm entre autores e leitores ainda nos dias de hoje. As histórias são muitas, nomeadamente as que envolvem conspiradores republicanos. José Fontana (que se suicidou no interior da loja), Antero de Quental, Eça de Queirós, Ramalho Ortigão e Aquilino Ribeiro são alguns dos "fantasmas" cujas sombras permanecem vivas no interior da Bertrand. Aquilino Ribeiro "deu" até o seu nome a um canto da livraria, "cantinho de Aquilino Ribeiro", onde se refugiava para ler.

 

Paulo Oliveira, administrador do Grupo Bertrand Círculo, proprietário do espaço, disse à Lusa que a loja do Chiado irá continuar como livraria "por mais 300 anos", já que "representa um património cultural inalienável".

A Bertrand, mais do que uma marca comercial, "simboliza a relação entre o leitor e o livro, em Portugal", disse Paulo Oliveira ao lembrar as muitas tertúlias, lançamentos de livros, colóquios e debates, que constituem um tesouro de vivências culturais daquele espaço.

 

Tem mais de 70.000 livros, quase três séculos de história, está no espaço corrente desde 1773, aquando da reconstrução da Baixa Pombalina após o terramoto de 1755.

 

Fontes "Lusa" / RTP

Publicado por Nuno_Ferreira às 23:55

04
Jun 11

 

Fotografia por ©Nuno Ferreira



Bye bye Escola Superior de Medicina Veterinária..

 

Mais um edifício que vai desaparecer da cidade de Lisboa..

 

Mais um edifício que vai desaparecer desta cidade, é triste que seja sempre mais barato demolir tudo e construir de novo um bloco de cimento, do que manter as características "faciais" e a identidade da cidade...
Segundo fontes da P.J. (novos proprietários do Edifício), apenas as pedras com o nome da Escola serão preservados e não se sabe se ficarão dentro dos jardins no novo edifício ou se vão para "outro lado". A opção pela Escola de Medicina Veterinária terá sido tomada depois de ter falhado o projecto para Caxias e também após terem sido goradas outras opções, nomeadamente as instalações do Regimento de Artilharia de Lisboa (RAL 1), em Sacavém; os terrenos que serviram de depósito de material militar, nas imediações de Moscavide (ambas pertencentes ao Ministério da Defesa); e terrenos em Chelas, onde qualquer edificação teria de ser feita de raiz e, portanto, seria mais dispendiosa.
Os entraves que há mais de 15 anos tinham obstado à compra do edifício foram ultrapassados, após negociações entre a tutela e os anteriores herdeiros do terreno em 2006.
Arrancam agora as obras e vamos então ter mais uma "bela" obra com um custo (orçamentado) de 32 milhões de Euros. De salientar que foi paga uma indemnização pelo Ministério da Justiça à empresa que tinha sido escolhida (Teixeira Duarte), para efectuar a obra em Caxias, entretanto gorada. E adivinhem a quem foi entregue a nova obra?! Exacto, à mesma empresa.
Vamos ver qual será o custo final, será que se vai chegar à "brilhante" conclusão que nos terrenos de Chelas sairia afinal mais barato??? Talvez os moradores da zona Chelas até gostassem de ter lá a P.J.).
"O ensino das Ciências Veterinárias foi institucionalizado em Portugal por Alvará Régio de 29 de Março de 1830, onde se destaca a necessidade de “huma Escola Veterinária para nella se conservarem as doutrinas que respeitam a esta arte de que muita utilidade deve resultar ao seu real serviço e ao público. E convindo igualmente que estes conhecimentos se generalizem para utilidade pública na conservação e criação de toda a espécie de gado cavalar, vacum e lanígero”. A Real Escola Veterinária Militar seria incorporada em 1855 no Instituto Agrícola (fundado em 1852), sob tutela do Ministério das Obras Públicas, Comércio e Indústria, onde passou a ministrar-se um curso misto de Agronomia e Veterinária, que formava veterinários-lavradores. Em 1864, passou a designar-se Instituto Geral de Agricultura, sendo então separado o curso de Veterinária do de Agronomia. A reforma de 1886 criou o curso de Medicina Veterinária no Instituto de Agronomia e Veterinária, o qual, em 1910, daria origem, no mesmo lugar, à Escola de Medicina Veterinária e ao Instituto de Agronomia. Em 1918 passou a designar-se Escola Superior de Medicina Veterinária e a conferir o grau de doutor em Medicina Veterinária.

Em 1930 foi criada em Lisboa a Universidade Técnica englobando a Escola Superior de Medicina Veterinária, o Instituto Superior de Agronomia, o Instituto Superior Técnico e o Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras.

Com a aprovação dos Estatutos da Universidade Técnica de Lisboa, em Agosto de 1989, a Escola Superior de Medicina Veterinária passou a designar-se Faculdade de Medicina Veterinária."

Fonte: UTL.

Nuno Ferreira

Publicado por Nuno_Ferreira às 22:45
Sinto-me:

25
Mai 11

 

Fotografia por ©Nuno Ferreira



O Bebedouro desaparecido no Jardim Henrique Lopes de Mendonça..

Em Picoas, na Praça José Fontana, situa-se o Jardim Henrique Lopes de Mendonça, datado da segunda metade do século XIX, recebeu em 1937 o seu actual nome em homenagem ao escritor, poeta e dramaturgo que escreveu a letra do hino nacional. Tem no centro, um coreto datado de 1912, um bebedouro e duas estátuas: um busto de José Fontana, da autoria de João Cutileiro e uma estátua de pedra e bronze com o busto de Henrique Lopes de Mendonça.
É relativamente ao bebedouro que este "post" se refere. Após as obras de requalificação que mantiveram os candeeiros de gosto duvidoso e os arbustos que levaram uma razia, na sua globalidade é um espaço acolhedor para residentes e visitantes.
O bebedouro de pedra (resistente e duradouro), que estava no local foi substituído por um de ferro pintado de verde, que foi mal colocado e em pouco tempo começou a soltar-se do solo e rapidamente caiu.
Depois de 2 semanas a ver o espaço onde estava o bebedouro, tal como está na foto, liguei para o Centro de Atendimento ao Munícipe (808203232) da CML (Câmara Municipal de Lisboa). Diga-se em abono da verdade que as pessoas do atendimento da CML até são simpáticas e bastante prestáveis, dizendo que agradeciam o facto de reportar a situação e que poderia saber mais sobre o estado da substituição do bebedouro com a DFCEP (Divisão de Fiscalização e Controlo do Espaço Público).
Ligando para a DFCEP (213912420/1), mais uma vez agradeceram o meu interesse em saber quando iria estar de novo um bebedouro funcional no local e foi-me pedido para enviar um e-mail para a dfcep@cm-lisboa.pt, o qual iriam depois encaminhar para o fiscal responsável pela zona e posteriormente me diriam alguma coisa.
Vamos ver quanto tempo vai demorar esta "novela" nesta bela cidade.
Assim que tiver mais noticias, colocarei aqui..

Nuno Ferreira

Publicado por Nuno_Ferreira às 20:40

15
Mai 11

   

 

Fotografias por ©Nuno Ferreira



Prédio mais estreito da Europa continua com os dias contados..

 Com apenas 1,6 m de largura, o prédio mais estreito da Europa (como tem vindo a ser referido por quem o conhece), na Rua Aquiles Monteverde, nº 16 (freguesia de São Jorge de Arroios), é tão "elegante" na sua fachada que pode ser "abraçado" por alguém de braços esticados. 

As obras que foram efectuadas aquando da construção de um novo prédio (mais um "caixote branco"), que não teve em conta o correcto escoramento do terreno contiguo, levou à queda parcial do nº 14, e danos no nº 16, que levaram ao desalojamento dos seus habitantes (onde ainda haviam duas inquilinas, Maria Olímpia e Maria Rodrigues, 50 anos vizinhas nas janelas voltadas para o Jardim Constantino).

"A Protecção Civil desalojou as inquilinas, porque o prédio não estava em condições de ter pessoas a viver lá. A uma das inquilinas arranjaram-lhe uma casa nos Olivais, e a outra foi viver para casa da filha", disse Manuel Serrão, proprietário do imóvel. Alega ainda que não pode proceder à demolição, "Não tenho meios [financeiros]", "nem me arrisco a efectuar uma obra que podia arrastar os prédios colados ao meu.". Entregou o caso ao seu advogado, enquanto aguarda que o tribunal decida sobre a indemnização do construtor.

O edifício foi construido ainda no século XIX por Manuel Paulo Ruas, que comprou um dos lotes da quinta do general Luís António de Oliveira Miranda. O prédio é quase triangular ("forma de Bacalhau" como dizia uma avó ao seu neto quando eu estava a tirar as fotos). Quem espreita pela porta verifica que o corredor se alarga e, ao fundo, há duas entradas. Pelas janelas também se consegue ver essa forma característica deste prédio.

Segundo a Câmara de Lisboa, o prédio não está classificado pelo IGESPAR (antigo Instituto Português do Património Arquitectónico- IPPAR), não tem interesse municipal, nem está numa zona de protecção. Isso acontece depois da classificação ter estado em vias de ir para a frente segundo Samuel Serrão, filho de Manuel Serrão. "Eu e a minha irmã pensámos em dar um destino diferente ao prédio e queríamos instalar lá uma galeria de arte. Íamos concorrer ao Regime Especial de Comparticipação na Recuperação de Imóveis Arrendados (RECRIA), quando o IPPAR disse que queria classificar o imóvel. Aguardámos e entretanto aconteceu aquele acidente. O IPPAR não classificou nada...".

Até ver o prédio está à venda assim como o número 14. A Câmara de Lisboa, através do gabinete do vereador do Urbanismo lançou uma intimação para obras de demolição até Fevereiro de 2006, caso contrário tomaria posse administrativa do imóvel, além de que, "foi comunicado à Polícia Municipal que se instaurasse um processo de contra-ordenação".

Como podem ver pelas fotos, ainda em 2011 se mantém esta situação triste do "Prédio mais estreito da Europa". A vizinhança lamenta o estado a que aquele prédio chegou e temem que só se vá fazer algo quando acontecer ali uma desgraça.
É o país que temos...
Nuno Ferreira
Fontes das citações "DN" e "JN".

Publicado por Nuno_Ferreira às 00:00
Sinto-me: Triste com isto..

Junho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Facebook Like..
Arquivos:
Partilha..
PARTILHAR no Facebook
Facebook Box..
Mais sobre mim
Perfil..
Pesquisar neste blog:
 
Subscrever feeds
blogs SAPO